(21) 97259-9915 / (21) 97109-2853

sbdrj@sbdrj.org.br

Vice-presidente da SBD-RJ propõe toldo para pontos de ônibus

  • Home
  • Notícias
  • Vice-presidente da SBD-RJ propõe toldo para pontos de ônibus

Em entrevista à Tv Globo e à Rádio Bandnews o Vice-presidente da SBD-RJ, Dr Flavio Luz propôs que a Prefeitura construísse abrigos nos pontos de ônibus e condenou os existentes em vidro.

 

Passageiros de ônibus improvisam para se proteger do sol no Rio

Falta de cobertura nos pontos de ônibus é principal reclamação.
Esta semana índice radiação UV passou de 11 pontos em uma escala de 15.

Com o céu limpo e o calor forte é difícil encontrar áreas de sombra e proteção nos pontos de ônibus do Rio. O carioca improvisa para se proteger e evitar a incidência dos raios ultravioleta que atingiu níveis extremos na cidade nos últimos dias.

Os usuários reclamam da falta de cobertura nos pontos de ônibus. Em uma rua movimentada do bairro de  São Cristovão, na Zona Norte, circulam cerca de dez linhas de ônibus. No entanto, só um ponto tem cobertura para abrigar entre 10 a 15 pessoas, conforme mostrou o RJTV neste sábado (11).

De acordo com a prefeitura, dos cerca de oito mil pontos de ônibus, apenas 30% têm cobertura. A promessa do governo municipal é que até 2016 cerca de 80% das paradas de ônibus estejam cobertas.

Enquanto isso não ocorre, os passageiros improvisam. A aposentada Dilma Martins da Silva, disse que usa duas roupas para sair de casa. ” Tem que botar duas, uma para vir até a parada e a outra para quando chegar no lugar a gente trocar de camisa”, revela.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio, nem os pontos de ônibus que são cobertos oferecem a proteção adequada. De acordo com os médicos, ficar no sol por mais de quinze minutos já é perigoso. “É um problema sério. A gente vê que as pessoas estão muito pouco protegidas. Um número pequeno consegue se proteger. Esse sol, nós estamos aqui, são 9h da manhã, 9h30, já está um sol forte. Então um indivíduo, principalmente o indivíduo vulnerável, ele fica predisposto a um câncer da pele”,explica Flávio Luz, vice-presidente da entidade.

Para quem trabalha ao ar livre, como a fiscal Luiza Gonçalves Rangel, o jeito é buscar a sombra das árvores da área verde do Campo de Santana, no Centro da cidade.  “Fico um pouquinho ali do outro lado, tem uma sombra ali naquela arvorezinha”, conta.

Índice recorde
Por causa do forte calor no Rio, o índice de radiação ultravioleta (UV) passou de 11 pontos em uma escala de 15, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), na quarta-feira (8). O alto índice (UV), pode causar queimaduras e câncer de pele.

“A curto prazo, a radiação ultravioleta queima, causa bolhas. A longo prazo, ela vai se acumulando no DNA da célula e esse efeito cumulativo pode alterar essa célula e, se essa célula alterar para o lado maligno, vira câncer de pele”, explicou ao Jornal Hoje o dermatologista Érico Di Santi.

Pico ao meio-dia
Os raios UV são fundamentais para manter o planeta aquecido. Como têm ultrapassado cada vez mais a barreira da camada de ozônio, chegam à Terra mais intensos que o normal. Entre as 10h e 16h, 70% dos raios UV são emitidos, inclusive na sombra. Ao meio-dia, a radiação atinge o pico, podendo chegar ao índice extremo, quando passa de 11 pontos na medição do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Em lugares de céu limpo, os raios podem chegar aos 14 pontos, num total de 15.

Fonte: site G1, Tv Globo e Rádio Bandnews

Link: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/01/passageiros-de-onibus-improvisam-para-se-proteger-do-sol-no-rio.html