Notícias

O que fazer se você se queimou demais?

Dias de sol e férias. É a combinação perfeita para aproveitar a praia. Mas, por algum motivo, você esqueceu a proteção solar. A verdade é que nada vai reverter a ação prejudicial causada pelo sol mas é possível aliviar alguns dos sintomas.

A queimadura solar pode lesar definitivamente a derme, que é a camada mais profunda da pele ,que dá força, elasticidade, textura e forma à pele. O excesso de radiação também tem o poder de danificar o DNA das células que, ironicamente, são constantemente estimuladas a se reproduzir para substituir as que foram definitivamente destruídas. O resultado é que a pele fica com um aspecto envelhecido antes do previsto, uma vez que fica mais fina, menos elástica, perdendo a forma, a força e a capacidade de proteção. A longo prazo podem até se transformar em células cancerígenas.

A pele é o nosso órgão mais extenso, composta por inúmeras células que formam diversas camadas. Uma dessas células são os melanócitos, cuja função é nos proteger dos raios solares. Quando somos expostos à intensidade da luz solar, os melanócitos agem aumentando a produção de um pigmento chamado de melanina. É esse pigmento que nos protege bronzeando a pele. Portanto, pessoas de pele clara, porém, têm menos melanócitos, ficam vermelhas e se queimam com mais facilidade. Outras desenvolvem sardas. Quem possui a pele mais escura tem uma proteção natural, mas não quer dizer que não precise de filtro solar.

Quando o sol nos queima, significa que sua radiação ultrapassou a capacidade de proteção da pele, deixando-a inflamada e dolorida – às vezes a ponto de não conseguirmos usar nem uma roupa leve. Isso compromete todas as outras funções da pele.

Por isso, saiba quais são as medidas que podem ser tomadas para diminuir a dor e a incômoda sensação de calor se você tem queimaduras solares:

– Banhos frios (dentro de uma banheira é melhor ainda) aliviam bastante;

– Cuidado com os sabonetes, prefira as versões líquidas e neutras;

– Evite roupas apertadas e escuras. Tudo deve ser muito confortável e claro para refletir o calor;

– Hidrate-se. Por dentro e por fora. Use hidratantes calmantes e consuma bastante água, sucos de frutas e água de coco também;

– Para o rosto, compressas geladas podem ajudar.

Casos mais intensos podem necessitar de corticosteróides de uso tópico associados a alguns tipos de antinflamatórios e analgésicos, devidamente indicados por um médico dermatologista. Aliás, um dos sinais de alerta para procurar o médico é constatar a presença de bolhas na pele. Significam que a queimadura atingiu o segundo grau e pode vir acompanhada de fraqueza, cansaço, calafrios, náuseas e até febre.

Aproveite o verão, mas não deixe para se proteger depois. Lembre-se: a pele deve estar protegida mesmo em dias nublados e em locais com sombra!

Fonte: SBDRJ