Notícias

Saiba como combater o Aedes aegypti, mosquito que é o terror do verão

Com a chegada do verão, é preciso ficar atento ao aumento da incidência de doenças transmitidas pelos mosquitos. Isso ocorre porque, além de ser a estação mais quente e abafada do ano, o verão também costuma ser úmido e chuvoso. É comum termos dias de temperatura elevada, seguidos das famosas “chuvas de verão”.

Esse é o cenário ideal para a proliferação dos mosquitos, especialmente do Aedes aegypti, que é responsável pela transmissão de doenças como zika, dengue e chikungunya. A melhor forma de combate ao mosquito, capaz de trazer tamanha dor de cabeça, é a prevenção.

Uso de repelentes

Muitas dúvidas surgem quando o assunto é o uso de repelentes. Como saber se ele é seguro, adequado ou mesmo se seu filho pode utilizá-lo? A Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional Rio de Janeiro faz algumas recomendações:

– 0 aos 6 meses de idade: não é recomendado o uso do repelente no bebê. Invista nas barreiras de proteção física, como mosquiteiros e cortinados. O uso da substância Permetrina na concentração de 0,5% pode ser usado nas roupas e cortinados nessa faixa etária;

– 6 meses a 2 anos: o uso de repelente é permitido, porém com restrições. Deve-se passar o produto somente nas costas e pernas para evitar que a criança suje suas mãos e as coloque na boca. Como forma de proteção adicional, faça uso das barreiras de proteção;

– A partir dos 2 anos: já é indicado o uso do repelente, que deve ser recomendado pelo médico dermatologista.

Lembre-se que o produto deve ser aplicado no máximo três vezes ao dia e apenas nas áreas expostas, nunca por baixo das roupas. Também é importante que se passe o repelente com cuidado para evitar regiões como olhos, nariz e boca. Procure aplicá-lo 15 minutos após o uso do filtro solar, lave bem as mãos após a aplicação e tome um banho para remover o produto antes de dormir.

Outras formas de prevenção

  • Além do uso de repelentes, evite utilizar cosméticos com perfumes, eles podem atrair mosquitos.
  • Procure usar roupas claras, além de calça comprida e manga longa;
  • Ambientes frios espantam o mosquito, ligue o ventilador ou o ar-condicionado;
  • Os repelentes elétricos (que são ligados na tomada) devem ficar próximos à portas e janelas;
  • Por falar em portas e janelas, utilize telas e mosquiteiros;
  • Evite o acúmulo de água em vasos, pneus, tanques e baldes. O mosquito prolifera-se em água parada.

Siga sempre as recomendações do médico e, em caso de manifestações alérgicas, busque a ajuda do dermatologista com urgência.

Fonte: SBDRJ