Notícias

Por que a pele negra está mais suscetível a manchas?

A pele negra possui maior concentração de melanina, proteína que dá cor e protege contra os raios solares. Como nesse tipo de pele o pigmento é amarronzado, diante de qualquer processo inflamatório ou irritativo – como acne, foliculite, alergia, melasma, picada de mosquito e etc – ela tende a escurecer ainda mais. Explica-se: o processo de cicatrização e a inflamação provocam uma “queda” do pigmento para as camadas mais internas da pele. Por isso, pode-se dizer que a pele negra possui maior tendência a manchas escuras depois desses problemas.

Para controlar a alta produção de melanina e prevenir a formação dessas manchas, usar filtro solar de boa cobertura é fundamental. Sim, a pele negra também precisa de proteção solar, mesmo que não se queime tão facilmente. Continua valendo a máxima: no mínimo FPS 30.

Há, ainda, a possibilidade de lançar mão de antioxidantes, como a vitamina C, além de produtos à base de ácidos glicólico e kójico. Mas se as manchas já estão presentes, o tratamento pode ser feito com peeling químico superficial, microagulhamento leve e alguns tipos de lasers.

Além de produzir mais melanina, a pele negra também pode ter tendência a maior atividade das glândulas sebáceas. De fato, o sebo ajuda a proteger a pele das agressões do meio ambiente, mas em excesso, favorece a ocorrência de infecções e acne. Se a pessoa tem o hábito de mexer nas espinhas, corre o risco de machucar a pele e desencadear aquele processo de cicatrização e pigmentação mencionado anteriormente.

O controle da oleosidade pode ser feito com o uso de sabonetes e produtos à base de ácido salicílico. As visitas ao dermatologista são imprescindíveis, já que o médico deve indicar cremes clareadores específicos, de acordo com a pele e as individualidades do paciente. Todas as peles são únicas e a pele negra tem algumas particularidades que só um bom dermatologista vai saber resolver.

Cuide-se! E procure um médico dermatologista!

Fonte: SBDRJ