fbpx

Notícias

Lidando com queimaduras

Queimaduras são reações da pele que acontecem quando ela entra em contato direto com agentes de alta temperatura como fogo, líquidos aquecidos, vapor e objetos quentes. Radiação e substâncias químicas também podem provocar essa reação. Queimaduras podem destruir parcial ou completamente a pele, inclusive alcançar outras estruturas mais profundas como músculos, tendões e ossos. São classificadas de acordo com o tamanho e a profundidade que atingem o corpo. Então podem ser de primeiro, segundo ou terceiro grau. Vamos saber mais sobre cada uma delas:

As de primeiro grau são as que atingem a epiderme, camada mais superficial da pele. Deixam a pele vermelha, inchada e com ardência constante. Como não provocam bolhas, é normal que a pele descame em seguida. A primeira providência depois de uma lesão assim é manter a área queimada sob compressa ou água fria, pois além de aliviar a dor, pode evitar a formação de um edema (inchaço). Analgésicos, antinflamatórios ou cremes com corticosteróides podem ser necessários no primeiro momento.

As de segundo grau atingem a epiderme e também a derme. Provocam vermelhidão, inchaço, formação de vesículas e bolhas, causando também dor intensa. Os primeiros socorros são os mesmos tomados na queimadura de primeiro grau, com exceção de que as bolhas devem ser esvaziadas apenas pelo médico. Algumas áreas mais sensíveis podem ser cobertas por curativos, de acordo com a orientação do médico, que provavelmente vai prescrever antibióticos para evitar infecções. Mesmo assim, a cicatrização muitas vezes resulta em manchas ou marcas na pele.

Por último e não menos importante, a queimadura de terceiro grau provoca destruição total da pele, atingindo até anexos cutâneos (pelos, glândulas), além de tecidos subcutâneos (músculos, tendões e ossos). Neste caso, a lesão é ressecada e o tecido é desvitalizado, formando uma úlcera. Pode adquirir aspecto de queloide e até limitar os movimentos. Para tratá-la, o primeiro passo é fazer curativos que contenham remédios e substâncias umectantes. Em alguns casos a intervenção cirúrgica é necessária e consiste em remover tecidos necrosados e até fazer enxerto de pele.

No entanto, é bom frisar que, não importa a gravidade da queimadura, a visita ao médico dermatologista é indispensável.

Fonte: SBDRJ