Notícias

Conheça as causas e sintomas da urticária

Urticária são irritações avermelhadas e levemente inchadas, acompanhadas de bastante coceira na pele. Essas lesões podem aparecer em qualquer parte do corpo, sendo pequenas, isoladas ou juntas e em grande quantidade, formando placas avermelhadas e disformes.

Geralmente aparecem em surtos e em qualquer período do dia ou da noite, durando algumas horas e desaparecendo da pele sem deixar cicatrizes. Embora sejam mais comuns em jovens adultos, podem acontecer em qualquer idade. Acredita-se que, ao longo da vida, uma em cada cinco pessoas desenvolverá urticária pelo menos uma vez.

Classificação

As urticárias se dividem de acordo com o tempo de duração e com a causa. Aos casos em que os sinais e sintomas desaparecem em menos de seis semanas, chamamos de urticária aguda. Já nos casos em que os sintomas duram por seis semanas ou mais, chamamos de urticária crônica. Em relação às causas, as urticárias podem ser desencadeadas por infecções, alimentos, medicamentos, além de estímulos físicos (pressão, calor, frio). No entanto, uma boa parte é classificada como espontânea, quando não é possível identificar a origem.

Sintomas

O mais comum é coceira, mas também é possível sentir ardor ou queimação. A depender da intensidade, os sintomas podem atrapalhar o cotidiano do paciente, a ponto de ele não conseguir cumprir as tarefas mais básicas. Mesmo não durando muito tempo, os sintomas podem ser reincidentes e se prolongarem por meses.

Uma das complicações da doençase caracteriza porum inchaço intenso e localizado, chamado angioedema, que normalmente atinge pálpebras, lábios, língua e garganta. Outra complicação, a anafilaxia, envolve todo o corpo, causando náuseas, queda da pressão arterial e edema de glote – que dificulta a respiração. Esses casos são graves e necessitam de atendimento de emergência.

Como os sintomas são físicos e externos, o diagnóstico é relativamente simples, mas não raro o médico pode solicitar exames de sangue para identificar a causa ou encontrar doenças associadas.

Tratamento

O tratamento deve ser administrado por um médico dermatologista e é importante ressaltar que a automedicação pode atrapalhar o controle da doença.

Prevenção

Prevenir, neste caso, envolve evitar qualquer coisa que provoque ou agrave a urticária. O paciente deve buscar orientação médica pois drogas como anti-inflamatórios podem desencadear essas reações e devem ser evitados ou substituídas. Em alguns casos, é necessária a restrição de alguns alimentos e bebidas. O estresse pode ser um fator agravante dos sintomas. Uma vez com a doença, é bom evitar bebidas alcoólicas, calor e estresse porque pioram o quadro.

Fonte: SBDRJ