Notícias

Como cuidar da pele das crianças no verão?

A pele das crianças tem características diferentes da dos adultos, pois elas possuem a imunidade ainda em desenvolvimento e estão mais suscetíveis a infecções e outras enfermidades. Os pequenos merecem cuidados o ano inteiro, mas no verão esses cuidados precisam ser mais específicos. Abaixo, saiba quais são as situações e problemas mais frequentes.

Filtro solar

Ao contrário do que se pensa, até os 6 meses, o uso de protetor não é recomendado, já que a pele do bebê absorve mais intensamente o produto. Então, a saída é não deixá-lo exposto ao sol e, se for necessário, usar protetores físicos, como roupas e chapéu. Depois dos 6 meses, é importante usar filtro solar infantil com fator de proteção mínimo de 30, levando sempre em conta a tonalidade da pele – quanto mais clara, maior deve ser o índice de proteção. Aplique a cada 2h e após os banhos de mar ou piscina.

Areia

A areia da praia também oferece riscos. Pode ser transmissora de doenças cutâneas, como micoses e larva migrans (bicho geográfico). Para prevenir, o melhor é que seu filho não ande descalço nesses lugares. Também é recomendado evitar que a criança ande sem calçados em pisos úmidos, como lava-pés e vestiários – lugares onde a proliferação de fungos é comum.

Insetos

Outro problema comum desta época são os insetos. Como acontece com o protetor solar, os repelentes só podem ser usados em bebês maiores de 6 meses. Antes disso, a única proteção é a física, ou seja, camisas de mangas longas e calças compridas, além de telas e mosquiteiros. Depois dessa idade, os repelentes mais indicados são à base de Deet e Icaridina, que protegem também contra o Aedes aegypti. E atenção, é melhor aplicar o protetor solar primeiro e, após 20 minutos, passar o repelente. A frequência de reaplicar do repelente varia de acordo com a substância contida nele.

Brotoejas

Brotoejas também são bastante comuns no verão. Elas são um processo inflamatório em glândulas sudoríparas, responsáveis pela produção do suor. Para evitá-las, vista a criança com roupas leves e largas, preferencialmente de algodão, e procure deixar a criança em ambientes o mais fresco possível. 

Assaduras

Provocadas por fungos que crescem devido à combinação entre umidade e calor, as assaduras são outra constante do clima quente. Então, é importante sempre trocar as fraldas do pequeno ou deixá-lo sem elas, para que a pele possa respirar.

Ao notar qualquer problema, busque a ajuda do dermatologista.

Fonte: SBDRJ