Notícias

Alopecia de Tração

Você sabia que alguns estilos de penteado, extensores e escovação excessiva dos fios podem gerar queda dos cabelos?
Já notou meninas com tranças ou rabos de cavalo tão apertados que percebemos fios mais curtos e até mesmo pontos de pus?

É provável que essas pessoas estejam desenvolvendo um quadro chamado de alopecia de tração (nome que se dá à queda de cabelo causada pela tração excessiva, repetida e prolongada). É mais comum na população afrodescendente, em especial nas mulheres, pelo uso de penteados como tranças apertadas e extensores capilares. Mas não é somente nessas situações em que pode ocorrer. O coque apertado da bailarina e o uso de rabos de cavalo, principalmente nas crianças, também é capaz de gerar essa condição. Associado a isso, cabelos quimicamente tratados pelo uso de alisantes ou permanentes, aumentam significativamente o risco de desenvolver alopecia de tração, por deixá-los mais frágeis.

É possível observar fios mais curtos, formando uma espécie de franja, nas margens do couro cabeludo. Nas fases iniciais, pode haver desconforto, vermelhidão, escamas e pontos de pus. Nesse estágio ainda é reversível. Com a evolução, ocorre redução do volume e do tamanho dos cabelos na área acometida e há regiões onde eles não crescem mais. Portanto, quando o estímulo não é interrompido, pode ocorrer evolução para alopecia definitiva, gerada por uma cicatriz no folículo.

O maior alerta é para os pais e cuidadores, a fim de evitar que as crianças mantenham penteados como tranças, coques, grampos e elásticos apertados que, ao longo dos anos, gerem tração contínua e uma posterior perda irreversível dos cabelos.

O dermatologista pode orientar estilos de penteados que exerçam menos tração nos fios e, em alguns casos, com sinais de inflamação, prescrever medicações para controle do quadro. Após estabelecida a perda irreversível, há poucas possibilidades de tratamento.
Somente seu dermatologista será capaz de identificar adequadamente sua condição, orientando e determinando a melhor forma para tratá-la.

 

Drª. Luciana Rodino Lemes, pelo Departamento de Cabelos da SBDRJ.  
Coordenadores do Departamento: Dr. Daniel Fernandes e Dr. Rodrigo Pirmez.